Toro

Economês - aprenda os termos do mercado e fale como um trader

Capítulo 1

Introdução ao economês

Se você está começando a investir e ainda está aprendendo como funciona o mercado, provavelmente já se deparou com alguns termos específicos desse universo. Esse conjunto de palavras e expressões difíceis de entender são popularmente chamadas de “economês”.

O tal economês pode dificultar o aprendizado e ainda fazer muitas pessoas desistirem de investir simplesmente porque não entendem direito do que se trata. Por exemplo, “volatilidade”, “emolumentos”, “day trade” são algumas das palavras que você vai ouvir por aí, mas que podem trazer muitas dúvidas.

Entender todos esses termos é essencial para que você consiga trilhar um caminho de sucesso com seus investimentos. Mas sabemos que nem sempre é fácil entender tudo de uma vez só.

Não se preocupe se não conhece todos essas palavras ainda. Este artigo foi criado justamente para que você conheça quais são os termos mais importantes do mercado e o que cada um significa. E vamos além: você vai conhecer também as principais gírias usadas por traders e aprender como falar como um investidor experiente.

Aprenda a criar o seu futuro com investimentos.

Curso grátis
Capítulo 2

O que é economês?

Como você deve imaginar, essa palavra surgiu a partir de dificuldade de investidores iniciantes em entender todas as expressões usadas por quem já investe há mais tempo. Ou seja, o economês é como se fosse um idioma usado por investidores experientes.

Imagine que você pegou um avião e pousou em um país em que você não entende quase nada da língua nativa. Então, pegar um táxi ou pedir um cafezinho vai ser bem mais complicado, certo? Fora o risco de o taxista te levar para um local diferente ou o garçom trazer um prato que você não pediu.

Podemos dizer, então, que o economês é a língua falada pelos investidores e traders, usando expressões e termos específicos do mercado financeiro. Muitas das palavras utilizadas podem ser de difícil compreensão, daí a ideia de ser um idioma exclusivo de pessoas ligadas à área de economia e finanças.

Isso significa que para entender sobre o tema você precisa ter um diploma? Nada disso. É possível entender o economês e falar a mesma língua de investidores experientes.

No entanto, muitas pessoas acreditam ser difícil e desistem sem nem mesmo tentar. Mas vamos te mostrar aqui que o economês não é nada como falar grego. Essa é a grande vantagem de aprender com quem entende do assunto e tem disposição para ensinar.

Aprenda a investir com quem entende do assunto.

Cursos grátis
Capítulo 3

Economês para iniciantes - De A a E

Acionista - Pessoa que possui ações de uma empresa listada na Bolsa de Valores.

Acionista majoritário - Quem possui o maior número de ações com direito a voto (ordinárias) de uma empresa, fazendo com que tenha mais força sobre a empresa.

Ação - São títulos negociados na Bolsa de Valores que representam uma fração do valor das companhias ou sociedades anônimas.

ADR - Sigla para "American Depositary Receipt". São recibos de ações estrangeiras emitidos nos Estados Unidos para serem negociados nas Bolsas norte-americanas.

After market - Período de negociação extra da Bolsa de Valores, em que é possível fazer investimentos mesmo após o encerramento do pregão.

Ajuste diário - O ajuste diário é o ajuste financeiro — que pode ser de crédito ou débito — executado nas contas de compradores e vendedores do Mercado Futuro todos os dias, em função do preço de ajuste sobre as negociações do dia anterior.

Alavancagem - Espécie de limite de crédito, possibilitando que você invista um valor maior do que tem em conta.

Análise fundamentalista - Estuda o comportamento econômico e a saúde financeira da empresa e do ambiente socioeconômico para tomar a decisão de investimento, com foco especialmente no longo prazo.

Análise técnica ou gráfica - Examina o comportamento geral e os padrões gráficos dos preços das ações para que investidores possam tomar uma decisão de investimento, principalmente no curto e médio prazo.

Anbima - Sigla que significa Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais. É uma das maiores entidades financeiras do Brasil e funciona como uma reguladora do mercado de ações e de capitais.

Ativo - Nome genérico dado a qualquer bem negociável: título, ação, contrato futuro, commodity.

Ancord - Sigla da Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários, Câmbio e Mercadorias. Responsável por unir e representar as empresas do mercado de capitais e financeiro.

B3 - Nome da Bolsa de Valores do Brasil, após a fusão da BM&F Bovespa com a Cetip em 2017.

Bacen - Sigla utilizada para falar do Banco Central do Brasil, autarquia autônoma responsável por garantir a estabilidade econômica do país.

Balança Comercial - Termo econômico que se refere às contas de importação e exportação de um país.

Banco de investimento - Diferentemente dos bancos tradicionais, os bancos de investimento são instituições financeiras privadas focadas exclusivamente em permitir que pessoas físicas ou jurídicas apliquem dinheiro em diversas modalidades.

Beige Book - Relatório que resume a situação econômica dos Estados Unidos, emitido pelo Federal Reserve oito vezes por ano.

Benchmark - Expressão em inglês que significa ponto de referência. O termo é usado no mercado financeiro para caracterizar um indicador usado como referência de desempenho. Por exemplo: o Ibovespa é considerado uma referência para alguns fundos de investimentos que buscam sempre superar sua performance.

Bitcoin - Criptomoeda digital, utilizada para comprar e vender produtos e serviços pela internet.

Blue Chips - Classificação usada para se referir às ações mais negociadas da Bolsa de Valores, como PETR4, ABEV3, e VALE3.

BTC - Serviço de empréstimo de ações realizado pela Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia (CBLC).

Boletim Focus - Publicação online divulgada semanalmente pelo Banco Central do Brasil que agrega as expectativas para o mercado de acordo com alguns indicadores econômicos.

Bolsa de Valores - A Bolsa de Valores é o lugar onde são negociadas, de forma segura e online, entre outras coisas: ações de empresas (como Petrobras, Vale e Ambev), títulos de renda fixa, commodities (como café, milho e dólar) e outros ativos.

BM&F Bovespa - Sigla para Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros de São Paulo. Foi o nome oficial da Bolsa brasileira até 2017, quando ela se tornou B3.

Câmbio - Relação entre o valor de duas moedas, que se dá através da venda, troca ou compra.

Carência - Tempo mínimo exigido para que o dinheiro fique aplicado em determinado título antes de ser resgatado pelo investidor.

Carteira de investimentos - Conjunto de ativos (como ações, cotas de fundos e títulos de renda fixa) que pertence a um investidor. Manter uma carteira bem balanceada permite diminuir os riscos e aumentar o potencial de ganho.

CBLC - Refere-se à Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia. Órgão responsável por todos os processos de custódia de ações e títulos do mercado de capitais do Brasil.

CDB - Sigla que significa Certificado de Depósito Bancário, título de renda fixa emitido por bancos que pode render mais que a Poupança.

CDI - Essa sigla significa Certificado de Depósito Interbancário. Títulos emitidos e negociados apenas entre bancos. A média da taxa cobrada entre os bancos (taxa DI) funciona como referência para alguns investimentos de renda fixa e fundos de investimento.

Cetip - Sigla referente à Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos Privados (Cetip), instituição que funciona como uma central depositária, oferecendo soluções para depósito, registro, negociação e liquidação de ativos.

Circuit breaker - Mecanismo de segurança utilizado para interromper todas as operações da Bolsa de Valores como proteção contra volatilidade em excesso.

Clube de investimento - Investidores que se agrupam para compartilhar uma mesma carteira de investimento.

CMN - O Conselho Monetário Nacional é um órgão do Sistema Financeiro Nacional que tem como missão cuidar da política da moeda e do crédito no país, com objetivo de garantir a estabilidade, o desenvolvimento econômico e social.

Commodity - Termo usado para caracterizar qualquer bem em estado bruto, produzido em larga escala e negociado continuamente.

Contratos futuros - Acordos de compra e venda de determinado ativo para uma data futura, negociados no Mercado Futuro.

COPOM - Comitê de Política Monetária do Banco Central do Brasil. Responsável, entre outras coisas, pela determinação da taxa Selic.

Corretoras de Valores - Empresa que pertence ao Sistema Financeiro Nacional, e tem por objetivo intermediar a compra e a venda de valores mobiliários, como títulos e ações.

Cota - É uma fração de um fundo de investimento. Sendo que as cotas de um mesmo fundo podem ser adquiridas por vários investidores.

Cotação - Preço de determinado ativo negociado no mercado financeiro, utilizado como referência para realizar um investimento caso haja perspectiva de valorização ou desvalorização.

Criptomoeda - Ativo virtual que funciona como meio de troca e usa a criptografia e a tecnologia para garantir o funcionamento descentralizado de negociações entre pessoas e empresas, sem a necessidade de intermediários, pela internet.

CVM - A Comissão de Valores Mobiliários é uma entidade pública e autárquica vinculada ao Ministério da Fazenda. Entre seus maiores objetivos está fazer com que todos possam investir com segurança e transparência.

Day Trade - Operações de compra e venda de ativos de curtíssimo prazo, isto é, que começam e terminam no mesmo dia.

Debênture - Título de dívida emitido por empresas privadas em busca de recursos para, entre outras coisas, expandir o negócio e pagar débitos.

Deflação - Termo que indica inflação negativa. Dessa forma, se refere à queda do nível geral de preços causada por oferta excessiva de produtos ou por diminuição da demanda pelos consumidores.

Derivativos - Contratos que derivam de outros ativos e que têm vencimento futuro, por exemplo: contratos futuros de dólar, milho ou índice.

Diversificação - Estratégia utilizada para diminuir riscos e aumentar possibilidades de bons resultados. Funciona com a distribuição do total a ser investido em diferentes títulos e ativos.

Dividendos - Parte dos lucros de uma empresa distribuída a seus acionistas como forma de remuneração.

Dólar - Moeda vinculada a uma das economias mais fortes do mundo: os Estados Unidos. Existem vários tipos de dólar: dólar comercial (usado pelas grandes empresas para efetuar importação e exportação de mercadorias), dólar turismo (usado como referência para viagens no exterior), dólar futuro (contrato da venda ou compra de dólar para um prazo futuro) e dólar paralelo (negociado de forma clandestina e sem o reconhecimento do Banco Central).

Dow Jones - Também chamado de DJIA ou Dow Jones 30, é um dos índices mais famosos do mundo. Foi criado pelo The Wall Street Journal e reúne 30 ações de empresas escolhidas pelo jornal.

EBITDA - Sigla em inglês que indica o lucro de uma empresa antes de juros, impostos, depreciação e amortização.

Emolumentos - Taxa cobrada pela Bolsa de Valores sobre as operações de compra e venda de ativos financeiros. A cobrança é feita para pagar os gastos envolvidos nesse tipo de transação.

Especulação - Negociação de ativos realizada com o objetivo de obter lucro no curto prazo.

ETF - Essa sigla em inglês significa Exchange Traded Funds, e se refere a fundos de índices negociados como ações.


Capítulo 4

Economês - De F a J

Fed - Usado para indicar o Federal Reserves, Sistema de Reserva Federal dos EUA que funciona como uma espécie de Banco Central.

FGC - Sigla que se refere ao Fundo Garantidor de Créditos, instituição que assegura títulos como CDB, LCI e LCA.

FGTS - O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço é um direito garantido pela Constituição Federal, que foi criado com o objetivo de proteger os trabalhadores demitidos sem justa causa. Consiste no depósito mensal em nome do funcionário correspondente a 8% do seu salário e realizado pelo empregador.

FOMC - Órgão ligado ao Fed responsável pelas políticas monetárias dos Estado Unidos.

Fundo de Investimento - Modalidade coletiva de aplicação que é administrada por um gestor, que aplicará os recursos dos cotistas em diferentes investimentos, dependendo da proposta do fundo.

G20 - Grupo formado pelas sete maiores economias do mundo: Estados Unidos, Alemanha, Canadá, Reino Unido, França, Itália e Japão. Além do Brasil, Rússia, Argentina, Austrália, China, Índia, Indonésia, Coreia do Sul, México, Arábia Saudita, África do Sul e Turquia.

Grau de Investimento - Mede a capacidade de um país de cumprir o pagamento de suas dívidas.

Hedge - Mecanismo que tem objetivo de proteger operações financeiras que têm exposição a grandes variações de preços.

Home Broker - Ferramenta que permite a negociação de ações e outros ativos na Bolsa de Valores pela internet.

Ibovespa - É o indicador que mede o desempenho médio das cotações das ações mais importantes na Bolsa de Valores do Brasil. É o principal índice da Bolsa brasileira.

IGP-M - O Índice Geral de Preços do Mercado é um indicador macroeconômico que mede a variação de preços do mercado, muito utilizado no reajuste de aluguéis.

Inflação - Fenômeno econômico caracterizado pela alta generalizada e persistente dos preços. No Brasil, é medida através do IPCA.

IOF - Referente ao Imposto sobre Operações Financeiras, tributo federal pago em operações de câmbio, crédito, entre outras. Alguns títulos resgatados em menos de 30 dias de aplicação precisam pagar IOF.

IR - Imposto de Renda. Tributo pago por pessoas físicas e jurídicas ao governo sobre o valor de sua renda. Também incide sobre alguns investimentos, como CDB e Tesouro Direto.

IPCA - Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, utilizado para medir a inflação no Brasil.

IPO - Sigla em inglês para Initial Public Offer. Em português significa Oferta Pública Inicial e se refere ao processo que empresas passam para abrir seu capital e lançar suas ações na Bolsa de Valores.

Juros - Remuneração cobrada em forma de um percentual a quem realiza um empréstimo ou paga a quem investe. Pode ser simples (quando é calculado sobre o valor total) ou composto (quando age tanto sobre o valor inicial quanto sobre os juros dos meses anteriores).


Capítulo 5

Economês - De K a O

Letra de Câmbio - Título de renda fixa emitido por Financeiras.

Letras de Crédito - Título de renda fixa emitido por instituições financeiras para financiar atividades imobiliárias (LCI) e do agronegócio (LCA).

Liquidez - Facilidade de resgatar ou vender um ativo.

Manejo de risco - Controlar o risco utilizando ferramentas, análises e estratégias inteligentes, por exemplo diversificar os investimentos.

Margem de Garantia - Valor necessário em conta para investir com alavancagem, pode ser em dinheiro, títulos públicos, CDB e ações.

Mercado de ações - Ambiente em que são negociadas frações do patrimônio de empresas, na forma de ações.

Margem de Balcão - Ambiente que permite a realização de operações que não estão registradas na Bolsa de Valores.

Mercado de capitais - Segmento do sistema financeiro responsável por intermediar negociações entre empresas e investidores, e também entre os próprios investidores. Agrega a Bolsa de Valores e demais instituições financeiras, além de órgãos reguladores do sistema.

Mercado Futuro - Ambiente dentro da Bolsa de Valores, onde são negociados contratos de compra ou venda de ativos para uma data futura.

Mercado primário - Ambiente onde ativos são negociados pela primeira vez após sua emissão. Este é o momento em que uma empresa que acaba de abrir capital vende suas ações a investidores pela primeira vez.

Mercado secundário - Onde ocorre a negociação de ativos que já passaram pelo mercado primário, como a negociação de ações entre investidores.

Nasdaq - Bolsa de Valores situada em Nova Iorque (EUA). É a segunda maior em valor de mercado e agrega ações de empresas importantes como Microsoft, Apple, Facebook e Amazon.

Novo Mercado - Novo segmento de listagem de empresas da Bolsa brasileira exclusivo para a negociação de ações de empresas que seguem normas rígidas de governança corporativa.

Opção - Investimento que dá ao seu titular o direito de comprar ou vender ativos em uma data futura por um preço determinado.

Ordem - Decisão de investimento feita por um investidor na plataforma de sua corretora para comprar ou vender um ativo.


Capítulo 6

Economês - De P a S

Perfil de investidor - Também chamado de suitability, o perfil de investidor é uma espécie de análise que identifica suas preferências e expectativas em relação aos investimentos.

PIB - O Produto Interno Bruto é a soma de todos os bens e serviços finais produzidos em um lugar, durante um período. É considerado um dos indicadores mais importantes para a macroeconomia com o objetivo de avaliar o desempenho da atividade econômica de uma região.

PGBL - O Plano Gerador de Benefício Livre é um tipo de previdência privada onde os pagamentos realizados mensalmente podem ser deduzidos do Imposto de Renda até um limite de 12% da renda total tributável.

Poupança - Tipo de conta que se abre em um banco e que paga um rendimento mensal em cima do valor depositado. O rendimento, no entanto, costuma ser baixo e pode ser até menor do que a inflação.

Pregão - Na Bolsa de Valores, o pregão é o momento em que o mercado está aberto, permitindo que ocorra a negociação dos ativos durante determinado horário.

Previdência privada - Plano de aposentadoria privada, ou seja, sem ligação com o INSS. Os planos de previdência privada podem ser disponibilizados por bancos ou seguradoras.

Rentabilidade nominal - Valor bruto do rendimento de um investimento ou aplicação durante determinado tempo.

Rentabilidade real - Taxa de rentabilidade nominal com desconto da inflação do período.

Resgate - Pagamento de um título, isto é, devolução do valor aplicado somado aos juros do período.

Risco - Possibilidade de o investimento trazer prejuízos ao investidor.

Spread - Diferença entre preço de compra e de venda de uma ação, título ou outro ativo.

Swap - Operação financeira em que ocorre troca de posições entre investidores em relação ao risco e retorno.

Selic - Taxa básica de juros da economia brasileira definida pelo COPOM e que serve como referência para investimentos como Tesouro Direto e Poupança.

Short Selling - Também chamado de operação de venda a descoberto. Utilizada em cenário de perspectiva de queda no preço de um ativo, quando o investidor vende o ativo para recomprá-lo mais barato.

Small caps - Classificação dada a ações de empresas com pequena capitalização. Ou seja, que possuem menor valor de mercado.


Capítulo 7

Economês - De T a Z

Taxa de administração - Valor cobrado normalmente por fundos de investimento para cobrir os custos da gestão. Mas essa taxa também pode ser cobrada em outros investimentos, como CDB, LCI, LCA e Tesouro Direto.

Taxa de corretagem - Valor cobrado sobre as operações de compra e venda de ativos na Bolsa de Valores. Pode ser uma taxa fixa por operação, um pacote fixo por mês ou ainda um percentual sobre o valor negociado.

Taxa de custódia - Cobrada pela Bolsa de Valores brasileira em vários investimentos para cobrir os custos referentes à guarda dos títulos e às informações e movimentações de cada conta.

Taxa de performance - Costuma ser cobrada pelos fundos de investimentos sobre a rentabilidade alcançada acima do esperado.

Taxa híbrida - Rentabilidade que reúne duas taxas: uma prefixada e outra vinculada a um indicador econômico, por exemplo o IPCA.

Taxa pós-fixada - Rentabilidade que segue a variação de um indicador da economia. Dessa forma, se o indicador cai o rendimento do investimento vinculado a ele também cai.

Taxa prefixada - Rentabilidade combinada no momento da compra do título e não varia durante todo o período em que ocorre o investimento.

Taxa Referencial - Popularmente chamada de TR, é utilizada como referência para parte do rendimento da Poupança e de outras aplicações como FGTS e financiamentos imobiliários

Tesouro Direto - Programa criado pela parceria entre a Bolsa de Valores do Brasil e o Tesouro Nacional para permitir a negociação de títulos públicos por pessoas físicas pela internet.

Títulos públicos - Também chamados de títulos de dívida pública. São títulos de renda fixa emitidos pelo Governo Federal para financiar suas atividades e disponibilizados para pessoas físicas através do programa Tesouro Direto.

Trader - Pessoa que realiza transações na Bolsa de Valores, especialmente quem se dedica 100% a essa atividade.

VGBL - O plano Vida Gerador de Benefício Livre é um tipo de previdência privada que não permite deduzir as aplicações frequentes do Imposto de Renda. Além disso, o IR será cobrado no momento do resgate e incide apenas sobre a rentabilidade acumulada, e não sobre o valor total.

Volatilidade -- Medida de risco que indica as variações do preço de um ativo.


Capítulo 8

Economês - como falar como um trader

Agora que você já aprendeu sobre os termos mais comuns utilizados no universo dos investimentos, conheça as gírias usadas no dia a dia de um investidor experiente da Bolsa de Valores.

Bater - Fechar negócio com a melhor oferta de compra disponível.

Bearish - Ligado à ideia de bear (urso, em inglês). Mercado menos otimista, com tendência de queda.

Bullish - Ligado à ideia de bull (touro, em inglês). Indica um mercado mais otimista, com tendência de alta.

Call - Opção de compra ou operação comprada.

Derreter - Queda forte que o ativo ou o mercado faz repentinamente.

Desovando - Indica venda expressiva de determinado ativo.

Dormir comprado ou vendido - Refere-se às operações que não são Day Trade, ou seja, que não começam e terminam no mesmo dia. Nessa categoria, podemos incluir operações de curto, médio e longo prazo.

Flipar - Jargão usado para falar da proposta de um investidor que deseja entrar nas ações de um IPO (Initial Public Offering) e vendês-la no mesmo dia da estreia, para obter lucro nesta operação.

Gap - Refere-se a uma região em que o preço de abertura e fechamento “salta”, quando avaliado o gráfico do ativo.

Gatilho - Condição para acionar uma operação de compra ou de venda, ponto identificado no gráfico que indica uma oportunidade de negócio.

Lateralizado - Ativo ou mercado sem tendência definida, ou seja, neutro.

Mico - São papéis de empresa que se encontram em dificuldades financeiras e os valores da ação são inferiores aos de empresas do mesmo setor ou similares.

Pernada - Trajetória completa de alta ou queda de um ativo.

Posicionado - Investidor que se mantém em uma operação.

Quilo - Termo usado para determinar milhares. Ex: 10 Quilos de Petro = 10.000 ações da Petrobras.

Reversão - Quando um ativo deixa de ter uma tendência de alta ou baixa e passa a iniciar um movimento oposto.

Sardinhas - Termo usado para designar pequenos investidores e também os inexperientes.

Stop - Preço-limite máximo de prejuízo em uma operação.

Ticker - É o termo em inglês para o código de negociação de um ativo. O “ticker” das ações da Vale, por exemplo, é VALE3.

Tomando calor - Quando a operação do investidor começa a ir contra a sua expectativa

Tomar - Fechar negócio com a melhor oferta de venda disponível.

Violinar - Quando o mercado vai contra a operação, atinge o stop do investidor e logo em seguida passa a caminhar em direção ao objetivo.

Virar pó - Termo usado principalmente no mercado de opções, que denota quando o ativo perde seu valor de mercado por completo.

Zerar - Quando um investidor decide encerrar alguma posição aberta e deixa de ficar posicionado.


Aprenda a criar o seu futuro com investimentos.

Curso grátis