Toro

O que são Fundos de Investimentos?

Capítulo 1

O que são Fundos de Investimentos?

Os Fundos de Investimento têm chamado cada vez mais a atenção de quem investe. Se você gosta de aprender mais a respeito de boas opções para investir seu dinheiro, já deve ter ouvido falar desse tipo de aplicação financeira.

Um Fundo de Investimento é uma modalidade coletiva de aplicação. Há vários tipos de fundos e uma boa parte deles é registrada na CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

Eles são um mecanismo que reúne o dinheiro de várias pessoas, que também são chamadas de cotistas. Esse fundo tem um gestor que aplicará esses recursos em diferentes investimentos, dependendo da proposta do fundo.

Imagine que todos os seus familiares depositaram quantias variadas em sua conta corrente. O objetivo é que você faça a compra para um grande almoço em família.

Nessa situação, o dinheiro para o almoço se assemelha a um Fundo de Investimentos e você cumpre um papel parecido com o do gestor do fundo. Afinal, é você quem decidirá o que será comprado, em qual supermercado a compra será feita e as quantidades de cada ingrediente. Ficou mais fácil entender como funcionam os Fundos de Investimento, certo?

Em vez de investir diretamente no Tesouro Direto, por exemplo, você compra cotas de um fundo. E este fundo, através de seu gestor, é que vai adquirir título do Tesouro.

A estrutura de cotas permite que todos os cotistas tenham a mesma rentabilidade, afinal o preço de uma cota é o mesmo para todos. Porém, os valores recebidos dependem de quantas cotas você possui. No entanto, vale lembrar que os fundos têm regulamentos bem definidos. Então, é importante conhecê-los muito bem antes de investir, ok?

Aprenda a criar o seu futuro com investimentos.

Curso grátis
Capítulo 2

Conheça os tipos de Fundos de Investimentos

Como dissemos no tópico anterior, existem diferentes tipos de Fundo de Investimentos. Veja, logo abaixo, quais são eles e quais suas principais características:

Fundos de ações

Como sugere o próprio nome, a maior parte das aplicações desses fundos de investimento é em ações negociadas na Bolsa de Valores.

Fundos cambiais

Um fundo cambial deve ter pelo menos 80% de seus ativos relacionados à variação de preços de moedas estrangeiras, como o dólar e o euro, por exemplo. Ele também pode ser formado por variações cambiais em geral.

Fundos de curto prazo

Esses fundos podem aplicar em títulos de renda fixa privados e em títulos públicos federais prefixados, indexados à taxa Selic ou a outros índices de preços. O prazo máximo permitido é de 375 dias.

Fundos de renda fixa

Fundos pertencentes a essa modalidade investem quase todo seu patrimônio em aplicações de renda fixa. Se você gosta de investimentos mais conservadores, eles podem ser boas opções.

FII

Os recursos dos Fundos de Investimentos Imobiliários (FII), como o próprio nome já fala, são voltados a empreendimentos imobiliários. É uma forma interessante de investir nesse setor, sem necessariamente comprar um imóvel.

Fundos multimercado

Os fundos multimercados são excelentes alternativas para quem gosta de variar. Eles não aplicam em nenhum mercado, especificamente — pois lidam com vários setores e tipos de aplicação.

Fundos mistos

Os fundos mistos aplicam seus patrimônios de formas diversificadas. Geralmente, mantêm algumas porcentagens fixas alocadas em ações e no mercado monetário.

Fundos de dívida

Esse tipo de fundo deve investir 80% de seu patrimônio, pelo menos, em títulos de dívida externa da União. Essa é a forma principal de você investir em papéis que são emitidos pelo governo brasileiro e negociados no exterior.

Conheça o 1º curso interativo de investimentos.

Aprenda grátis
Capítulo 3

A estrutura dos Fundos de Investimentos

Existe uma grande estrutura por trás de cada Fundo de Investimento. Cada um dos personagens cuida de um determinado aspecto do investimento. Confira a seguir quais são eles e o que cada um faz.

Gestor (a)
Em alguns casos, não é só uma pessoa que exerce o papel — há um comitê que toma essas decisões. Na maioria das vezes, é um grupo especializado em economia e finanças. Afinal, esta é uma função muito relevante, não é mesmo?
O gestor ou gestora é quem decide em quais ações ou títulos investir. É responsável por controlar as compras e vendas de ativos.
Administrador (a)
É responsável por controlar as cotas, acompanhar o fluxo de caixa e defender os direitos de quem participa dos investimentos. Também é responsável pela divulgação de informações e o cumprimento das normas legais.
O administrador ou administradora é a empresa ou grupo de empresas que cuida da rotina do fundo.
Custodiante
Os ativos ficam sob custódia de uma empresa contratada para exercer essa função, e isso é extremamente importante para manter a segurança dos investimentos.
O custodiante é quem guarda os ativos do fundo. Como já mencionamos, ao investir em Fundos de Investimento, o gestor vai adquirir vários ativos para a carteira do fundo.
Auditor
Quase sempre, quem cuida da auditoria é uma empresa especializada, que analisa demonstrações financeiras, documentos e outras informações importantes. A ideia é que isso seja feito uma vez por ano, para prevenir fraudes e outras complicações.
O auditor independente é um dos pré-requisitos para que o fundo possa funcionar dentro da legalidade.
Distribuidor
Na prática, funciona como uma ligação entre os fundos e as pessoas que investem. É para ele que você poderá perguntar sobre as dúvidas ou problemas com relação às suas cotas. Os distribuidores de fundos podem ser bancos e corretoras de valores, por exemplo.
O distribuidor é a entidade responsável por se relacionar com quem investe do fundo.

Capítulo 4

Como escolher um Fundo de Investimento

Agora que você já sabe o que é um Fundo de Investimento, é hora de entender como escolher fundos que combinem com seus objetivos. Conheça alguns fatores importantes que você deve considerar antes de tomar sua decisão.

Classificação e risco do fundo
Como você viu agora pouco, existem alguns tipos de Fundos de Investimentos. Quando você for investir nesse tipo de aplicação, saiba em qual classificação ele se encaixa. Isso é necessário para saber os riscos que você pode correr ao aplicar em um fundo.
Os fundos que priorizam a renda fixa correm riscos diferentes, e potencialmente menores, do que daqueles que aplicam a maioria do patrimônio em ações, por exemplo.
Prazo de resgate
O prazo de resgate nada mais é do que o tempo que você deve esperar para transformar suas cotas em dinheiro novamente. Se esse prazo for curto, isso quer dizer que o fundo tem alta liquidez.
Tenha bastante atenção a esse aspecto. Fundos com prazos muito longos deixarão seu dinheiro "preso" por mais tempo e você não poderá retirá-lo quando quiser, mesmo se acontecer uma emergência.
Taxa de administração
Como têm uma gestão profissional e qualificada, os fundos são mantidos a partir de uma taxa de administração. Tome bastante cuidado nesse quesito, pois, se ela for muito alta, isso pode prejudicar seus rendimentos.
Histórico do fundo
Se alguém pedisse dinheiro emprestado para você, o que você consideraria antes de fazer o empréstimo? Provavelmente, você tentaria descobrir se essa pessoa é confiável ou não, certo?

A mesma lógica vale em relação aos fundos. Verifique há quanto tempo estão no mercado, se já houve suspeitas de fraude e outras informações importantes.

Analise com cuidado o histórico e a trajetória das empresas envolvidas antes de fazer sua aplicação
em um fundo de investimento.
Aplicação inicial
Um Fundo de Investimentos pode demandar uma aplicação inicial mínima, mas esse valor varia bastante. Por isso, é interessante conhecê-lo antes de aplicar. Afinal, de nada adianta escolher um fundo interessante, se o valor da cota não couber no seu bolso.
Todos esses fatores que acabamos de mostrar são relevantes na hora de optar por um fundo. Além disso, conhecer seu perfil de investidor ou investidora ajuda ainda mais a fazer essa análise. Assim, será possível escolher as cotas que mais combinam com você e com a sua realidade.

Monte grátis sua carteira
de investimentos.

Teste grátis
Capítulo 5

Como investir em Fundos de Investimentos

Antes de tudo, saiba que é preciso ter uma conta em uma corretora de valores para investir em fundos. Escolha uma empresa reconhecida no mercado.

Acredite, poder contar com bons profissionais faz
muita diferença para escolher as melhores aplicações.

Após escolher sua corretora, veja quais são os fundos que ela disponibiliza. Leia com bastante atenção o prospecto — programa que contém o plano e a descrição de um negócio — e o regulamento de cada fundo.

Essa etapa é muito importante. Portanto, tente entender quem são os responsáveis e os riscos envolvidos. Se precisar, tire todas as suas dúvidas com a equipe da sua corretora.

Depois disso, verifique se os ativos adquiridos pelo fundo combinam com seu perfil e suas metas.

O ideal é escolher a opção que mais se relaciona aos
seus planos. Caso contrário, você pode se frustrar com
os resultados e isso não é legal, concorda?

Uma vez que a aplicação foi feita, lembre-se de acompanhá-la atentamente. Dessa forma, você pode ver se o investimento está indo de acordo com as suas expectativas. Afinal, você quer que eles tenham uma boa rentabilidade, então é bom ficar sempre de olho.

Aprenda a criar o
seu futuro com investimentos.
Curso grátis

Capítulo 6

Vantagens dos Fundos de Investimentos

Por que será que tantas pessoas querem saber como funcionam os Fundos de Investimentos? Isso não é por acaso. Afinal, esse tipo de aplicação tem algumas vantagens muito interessantes. Estas são as principais, veja só:

Diversificação

diversificacao

É muito interessante diversificar sua carteira de investimentos. A partir disso, você pode lidar com diferentes níveis de risco e conseguir bons rendimentos. Isso é viabilizado pela variedade de ativos que há nos Fundos de Investimento.

Praticidade

praticidade

Investir em Fundos de Investimento é muito prático, pois a escolha das aplicações é feita por profissionais especializados. Você não precisa se preocupar pois os gestores do fundo cuidarão disso para você.

Liquidez

liquidez

A liquidez ou prazo de resgate é o tempo mínimo que você deve esperar para converter sua cota em dinheiro novamente. Existem fundos com maior liquidez, que permitem resgatar o dinheiro em poucos dias.

Custos

custos fundos de investimento

Como um fundo é composto por várias pessoas, você acaba dividindo os custos administrativos e de corretagem com elas. Só vale ter atenção para não pagar uma taxa de administração que atrapalhe seus ganhos.

Acessibilidade

acessibilidade

Os Fundos de Investimentos são acessíveis, porque não exigem que quem investe tenha conhecimentos avançados sobre o mercado financeiro. Além disso, é possível encontrar cotas com preços para diferentes bolsos.

Monte grátis sua carteira de investimentos.

Teste grátis
Capítulo 7

Riscos dos Fundos de Investimento

Tenha em mente que todas as aplicações têm riscos, ok? Porém, isso não quer dizer que você deve abrir mão de investir. O ideal é conhecer os tipos de risco que você corre e saber como equilibrá-los em sua carteira.

Risco de crédito
O risco de crédito é chance do fundo falir. Quando isso acontece, geralmente é por causa de má administração. Por isso, procure se informar bastante a respeito dos gestores e administradores. Boas corretoras dificilmente indicam opções com alto risco de crédito. De qualquer forma, é válido saber que ele existe.
Risco de mercado
É difícil estimar de maneira precisa como é calculado o risco de mercado. Basicamente, ele é gerado pelas oscilações econômicas e monetárias do país.
Risco de liquidez
Como já dissemos, a liquidez é o tempo que seu dinheiro demora para sair do fundo e voltar para sua conta. Assumir um investimento com baixa liquidez é arriscado, porque você deve esperar mais para resgatá-lo. E aí, caso ocorra alguma emergência, vai ficar difícil pegar o dinheiro de volta para ajudar a resolver o problema.

Aprenda a criar o seu futuro com investimentos.

Curso grátis
Capítulo 8

Taxas e tributações

Além dos riscos, você também precisa saber quais os custos de investir em Fundos de Investimentos. Confira:

Taxa de administração

taxa de administracao

Cobrada para remunerar as instituições que trabalham no fundo (gestão, distribuição, administração etc.). Como já dissemos, você deve escolher um fundo que não exija uma taxa muito alta, senão isso pode comprometer seus resultados.

Taxa de performance

taxa de performance

Essa taxa só é cobrada quando o gestor(a) consegue um desempenho acima do esperado com as aplicações.

Taxa de saída

taxa de saída

É cobrada na hora de resgatar suas cotas e reaver seu dinheiro. Não é uma cobrança obrigatória e varia de fundo para fundo.

IOF

IOF

Esse imposto só é pago se você decidir resgatar seu capital em menos de 30 dias após a data da aplicação. Vale destacar que fundos de ações são isentos do Imposto sobre Operações Financeiras.

Imposto de Renda

Imposto de renda

Normalmente, fundos com menor prazo de aplicação pagam uma alíquota maior do IR. Outro detalhe interessante é que os fundos de ações sempre pagam a menor alíquota do IR (de 15%), independentemente do prazo do investimento.

Enfim, como você pode ver, os Fundos de Investimento podem ser ótimas opções para você investir. O importante é que você estude bastante as opções disponíveis antes de escolher. Além disso, construir uma carteira de investimentos diversificada é um passo importante para aumentar suas chances de sucesso e diminuir os riscos.

A boa notícia é que na Toro você pode fazer um plano personalizado e entender seu perfil de investidor. Assim, você pode investir em opções mais adequadas às suas necessidades e ficar mais perto de realizar seus maiores sonhos.

Monte grátis sua carteira de investimentos.

Teste grátis
Capítulo 9

Dúvidas frequentes sobre
Fundos de Investimento

Ainda tem dúvidas? Veja a seguir as perguntas mais comuns quando o assunto é Fundos de Investimentos:

É a sua parcela de participação no fundo. O dinheiro que você investe é temporariamente convertido em cotas. Esse sistema evita que seu dinheiro se misture ao das outras pessoas.

É o patrimônio líquido (PL), ou seja, o valor total que o fundo tem em ativos.

Isso depende do seu perfil e de seus objetivos. Converse com profissionais qualificados de uma corretora, porque eles podem ajudar muito nesse sentido.

Cada fundo tem suas próprias regras em relação à data de vencimento e ao prazo de resgate. Por isso, reforçamos que é importante ler o prospecto e o regulamento com cuidado.

Conheça o 1º curso interativo de investimentos.

Aprenda grátis