Toro

Melhores investimentos financeiros para 2019

Capítulo 1

Melhores investimentos de 2018: retrospectiva

A base para 2019

Quando entramos em 2018, algumas expectativas foram criadas e outras deixadas de lado. O fracasso da proposta da reforma da previdência de Temer, uma recuperação econômica abaixo do esperado e um período eleitoral turbulento, fizeram com que alguns indicadores econômicos, como o PIB, os juros, a inflação e outros fossem revisados.

Dessa forma as oportunidades de investimentos de curto prazo foram o incremento de rentabilidade para muitas carteiras. Oportunidades em câmbio, em juros, na Bolsa surgiram com frequência, rentabilizando o investidor mais antenado nas recomendações.

Eventos como a greve dos caminhoneiros e as eleições presidenciais, ditaram o ritmo dos negócios em 2018.

Cada um desses eventos, somados a outros acontecimentos marcantes trouxeram alguma volatilidade e movimento para nosso mercado financeiro. Abaixo explicamos o impacto de cada um desses grandes eventos para a nossa Bolsa de Valores.

Parados na estrada: entenda a crise dos caminhoneiros

Sem dúvida nenhuma, você sentiu algum impacto da grande greve dos caminhoneiros desse ano. Pode ter ficado sem gasolina, ter enfrentado filas em postos ou visto supermercados desabastecidos, mas você sabe qual foi o impacto desse movimento para a economia? Antes de seguir em frente, saiba que essa análise não leva consigo qualquer juízo de valor.

Em maio deste ano, a paralisação dos caminhoneiros, por 11 dias, nos mais diversos estados do país, gerou um prejuízo estimado em R$16 bilhões para a economia do país, reflexo do impacto direto sobre a produção industrial e a arrecadação tributária.

Essa diferença gerou como consequência a queda consecutiva das projeções do Produto Interno Bruto para o ano.

A greve dos caminhoneiros, tornou-se símbolo da oposição ao governo do presidente Michel Temer. O fim da greve chegou após a decisão do governo federal de intervir na política de preços da Petrobras e anunciar a redução de R$0,46 por litro do diesel referente aos impostos PIS, COFINS e CIDE.

Justiça no radar: os avanços da Lava Jato

Os avanços da operação Lava Jato marcaram a história do Brasil em 2018. Acompanhado de importantes denúncias no decorrer do ano, o acontecimento mais marcante ocorreu no dia 7 de abril com a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado em segunda instância a 12 anos e um mês por corrupção e lavagem de dinheiro.

Em meio a intenso embate legal, a equipe de defesa do Ex-presidente buscou preservar os direitos políticos enquanto estivesse preso, incluindo o acesso aos membros do seu partido, à mídia e a participação na eleição presidencial no Brasil em 2018. Esgotados os recursos, o partido dos trabalhadores, lançou o candidato Fernando Haddad como sucessor na corrida eleitoral.

Nesses períodos a volatilidade foi um ingrediente que proporcionou boas oportunidades de curtíssimo e curto prazo no mercado de ações.

Candidatos, candidatos e candidatos: a maior corrida eleitoral da história

Definida como a maior corrida presidencial em número de candidatos, essa corrida eleitoral contou com a participação de 13 candidatos no total. Essa grande quantidade de presidenciáveis gerou a diluição dos votos entre o eleitorado e intensificou o sentimento de cautela do mercado antes do 1° turno.

No dia 07 de outubro, os resultados do primeiro turno, deram a vantagem ao candidato do PSL, Jair Bolsonaro, com 46,03% dos votos válidos ante os 29,28% do segundo lugar, candidato Fernando Haddad do PT. Em 28 de outubro, os resultados do segundo turno deram a vitória ao candidato do PSL com 55,13% dos votos válidos ante os 44,87% de Haddad, encerrando uma história de mais de 13 anos do governo do Partido dos Trabalhadores.

Como previmos em nossa carteira mensal de outubro, as melhores oportunidades no mercado de ações, para aquele momento, foram as empresas estatais. Vimos muitos desses ativos decolarem com a vantagem imposta pelo candidato Jair Bolsonaro ao seu oponente no resultado do 1° turno, nos garantindo um resultado acima da média do mercado.

Inclusive, nossa carteira teve performance campeã entre outras recomendações de investimento: veja aqui.

Entre 01 de outubro e 05 de novembro, o índice Ibovespa apresentou uma alta de 11.000pts, uma variação 14%. E para o fim do ano, o que o mercado guarda para seus investidores? É preciso redobrar a atenção nessa época para não perder os melhores investimentos de 2019.

Encerrada a corrida presidencial no final do mês de outubro, o mercado voltou as atenções para o processo de transição entre os governos, as nomeações para cargos importantes e as discussões sobre as propostas de reformas em todos os âmbitos mexem com apetite ao risco dos investidores e dão pistas de como deve ser a largada do novo governo. Os primeiros sinais para o mercado são positivos, mas insuficientes para diminuir o sentimento de cautela observado normalmente pelos investidores quando existe a troca de governo.

Neste cenário, o Ibovespa tende a se manter em tendência mais neutra, operando entre 81.000 a 90.000.

Movimentos inesperados podem ocorrer durante este final de ano, com notícias que impactem os temas comentados acima. Isso pode, inclusive, impulsionar o Ibovespa, fazendo-o superar o seu topo histórico de pouco mais de 90 mil pontos. Visto isso, quer saber quais são os melhores investimentos de 2019?

Aproveite o melhor da Bolsa em 2019.

Veja recomendações de analistas
Capítulo 2

Investir na renda variável

As melhores ações de 2019

O ano de 2018, sem dúvidas, na nossa visão foi de bons resultados. Diversos investidores conseguiram belas rentabilidades investindo na Bolsa de Valores neste ano. Momentos certos fizeram ótimas oportunidades e aqueles que souberam aproveitar o mercado fecharam o ano com resultados interessantes.

Agora a atenção se volta para o novo governo que se inicia dia 1º de janeiro. A vitória do candidato de direita, Jair Bolsonaro, entrega algumas possibilidades a nossa Bolsa de Valores, para conseguir aproveitar os melhores investimentos de 2019, é preciso entender um pouco quais setores se beneficiarão do novo governo.

Com uma pauta mais liberal, a equipe econômica defende privatizações, reformas e um governo mais enxuto. Esses pontos acabam agradando alguns investidores e pode gerar um aquecimento do mercado no primeiro momento.

De olho nas privatizações

A agenda de privatizações de Jair Bolsonaro pode contribuir fortemente na valorização de um grupo específico de empresas: as estatais. Esse movimento, normalmente, agrada o mercado e atrai investimentos, tanto locais quanto estrangeiros. Assim, empresas que hoje são responsabilidade do governo podem dar bons resultados em 2019.

Por mais que enquanto essa agenda não seja pública, e que o governo já descartou privatizar algumas, toda vez que o assunto entra em pauta o mercado promove um fluxo comprador mais intenso nas principais estatais listadas na Bolsa, sendo assim é possível aproveitar de um movimento otimista envolvendo algumas das grandes empresas do país. Fiquem de olho nas seguintes ações:

Setor bancário continua no radar

O setor bancário segue atrativo em 2019. Os grandes bancos privados devem expandir suas linhas de crédito e gerar novos negócios, caso realmente aconteça um crescimento da economia.

Acreditamos que o setor deve continuar sendo um dos preferidos dos investidores neste ano, como foi no ano anterior. Veja as ações que entram nessa lista:

Infraestrutura em jogo

Outro grupo que entra na nossa lista de melhores investimentos para 2019 é o das empresas do setor de infraestrutura. O novo governo não terá capacidade de investimento devido a atual situação das contas públicas e precisa atrair capital privado para promover a aceleração do crescimento da economia.

A agenda de novas concessões deve ser frequente, setores como rodovias, ferrovias, portos e aeroportos precisam de grandes aportes. Grandes obras de infraestrutura em saneamento, mobilidade urbana, comunicações e energia elétrica, devem atrair o investidor estrangeiro.

Fique de olho em:

Empresas de energia elétrica:

Empresas de concessões de transportes:

Exploração de Imóveis e shopping centers

Com o possível aquecimento da economia, acreditamos que a expansão de empresas e novos negócios é uma consequência natural desse movimento. Empresas de exploração de imóveis e shopping centers devem se beneficiar já no 1° semestre do ano.

Acreditamos que as seguintes empresas podem performar acima da média do setor. Nossas atenções, então, se voltam para:

Consumo e Varejo

Como citamos acima, o aquecimento da economia deve atrair investimentos e consequentemente gerar empregos. A taxa de desemprego, em dezembro de 2018, ficou em 11,7%, considerada alta para o momento atual, deve retrair e gerar maior poder de compra para o brasileiro, estimulando o maior consumo.

Nessa expectativa acreditamos que empresas ligadas diretamente ao consumo devem expandir negócios e aquelas melhores posicionadas atualmente devem crescer em 2019. Nossas preferências recaem sobre:

Invista em qualquer ação
da Bolsa com um clique.

Veja agora
Capítulo 3

Investir na renda variável

Melhores Fundos de Investimento Imobiliários de 2019

Diferente do que muitos pensam, o mercado de renda variável não é composto apenas por ações. Conhecidos como FII, os Fundos de Investimento Imobiliários são opções interessantes e podem entrar para o grupo de melhores investimentos de 2019. Entenda o porquê:

Primeiramente, são formas de investimento extremamente simples e práticos, com poucos cliques você já pode começar a investir nesse tipo de ativo. Normalmente, eles apresentam boa rentabilidade e tem uma liquidez interessante, isto é, seu dinheiro não fica preso.

Para 2019, alguns fatores apontam para a formação de um bom cenário para esse tipo de investimento, veja:

Taxa Selic na baixa
O valor das cotas de fundos imobiliários tendem a manter a tendência do ano passado e ser corrigidos, uma vez que essa se manterá em patamares baixos em 2019.
Retomada econômica
A promessa de um aquecimento em 2019 ajuda a valorização do mercado que esses títulos se fundamentam.
Valor atrativo
O valor do metro quadrado continua atraindo novos investidores para esse setor. Vale ficar de olho.

Os Fundos Imobiliários são boas opções para compor uma carteira com maior diversificação e se preparar para diferentes cenários em 2019.

Abaixo estão alguns Fundos Imobiliários que estão chamando nossa atenção:

  • AEFI11
  • BBPO11
  • BCFF11
  • BRCR11
  • KNRI11
  • HGLG3
  • VRTA11
  • FEXC11

Dessa forma, podemos afirmar que os Fundos de Investimento são os melhores investimentos?

A manutenção da Taxa Selic em seu mínimo histórico já atraiu muitos investidores que não dependem diretamente dessa taxa para compor sua rentabilidade. A sequência desse cenário pode dar uma continuidade para essa realidade

Além disso, a Selic em patamares baixos estimula e facilita a concessão de crédito, realidade extremamente favorável para o desenvolvimento do setor imobiliário. Como não exigem um capital alto inicial, os FII podem continuar como um dos destaques entre os melhores investimentos de 2019 - vale ficar de olho.

Invista em Fundos Imobiliários.

Clique aqui
Capítulo 4

Investir na renda fixa

Melhores títulos privados de 2019

Por mais que a Selic na casa dos 6,5% ao ano tenha afastado alguns investidores da renda fixa, essa modalidade de investimento não pode ser ignorada nessa lista. Mesmo com rentabilidades inferiores, esse mercado ainda ocupa parte importante na carteira de investimentos de brasileiros.

Para potencializar seus ganhos, é preciso entender o melhor que esse universo pode lhe oferecer. Para isso, é fundamental traçar um breve comentário sobre três dos principais índices da nossa economia: CDI, Selic e Inflação (IPCA).

Assim, você conseguirá identificar qual título pode ser o melhor de 2019. Vamos lá?

1) Taxa Selic

Há pouco mais de dois anos, em 2016, a Selic, isto é a taxa básica da economia, que se mantinha em 14% ao ano, passou por uma série de cortes. No quinto mês de 2018, o Banco Central do Brasil anunciou que a taxa permaneceria e se estabilizaria nos 6,5%.

As reduções, que representaram mais de 50% do seu valor inicial, resultaram na diminuição da rentabilidade de diversos títulos do mercado financeiro.

Além disso, esse novo patamar da Selic ativou um gatilho que reduz ainda mais o rendimento poupança, afastando investidores dessa tradicional forma de “investimento”.

2) Inflação

Nos últimos anos, a inflação passou a caminhar para um patamar menor do que estávamos acostumados. Como um dos grandes direcionamentos do último governo, o índice caiu drasticamente.

Até 2018, o aumento do preço se manteve estável e a níveis bem inferiores comparando com os anos anteriores. Salvo picos pontuais causados, principalmente, pela greve dos caminhoneiros.

3) CDI

A taxa utilizada nos empréstimos entre os bancos (ou Certificado de Depósito Interbancário - CDI) é largamente usada como uma base para a rentabilidade de diversos investimentos de renda fixa.

O CDI segue, usualmente, os movimentos da taxa Selic. Dessa forma, a partir do final de 2016, nós pudemos verificar a queda desse indicador.

O valor e o movimento desses indicadores podem explicar o motivo de que você notou uma redução na rentabilidade dos seus investimentos de renda fixa. Entretanto, como o aumento dos preços (inflação) também foi reduzido, a rentabilidade real dos seus investimentos, em média, se manteve nos mesmo patamares.

Visto o cenário da nossa economia, podemos passar pelos principais investimentos de renda fixa do nosso mercado. Veja só:

Agora que entendeu um pouco das previsões para 2019, veja os títulos que podem ser os campeões de rentabilidade dos investimentos de renda fixa.

CDB - Certificado de Depósito Bancário
Os chamados CDBs, ou Certificados de Depósito Bancário, estão na lista dos melhores investimentos de renda fixa há algum tempo. E continuarão nela em 2019.
Existem diversas modalidades de CDB sendo oferecidos no mercado. Eles variam de acordo com seu prazo, sua rentabilidade e seu emissor. Dessa forma, é preciso contar com uma maneira simples de identificar as melhores oportunidades dentro desse universo.
Esses títulos, normalmente, têm sua taxa de rendimento ligada ao CDI. Eles pagam valores superiores a esse parâmetro, de acordo com o tempo que aceitar deixar seu dinheiro investido: quanto maior o prazo mínimo, maior sua rentabilidade.
Nossos analistas recomendam que você permaneça de olho em CDBs emitidos por bancos menores. Eles têm a mesma garantia de segurança, o FGC, e oferecem taxas melhores.
LCI e LCA - Letras de Crédito
Assim como os CDBs, as Letras de Crédito (LCI e LCA) também podem ocupar uma boa posição entre os melhores investimentos de renda fixa em 2019. Suas taxas podem ser competitivas, visto o cenário econômico previsto para esse ano.
Esses títulos atraem milhares de investidores por uma de suas vantagens: são isentos de Imposto de Renda. Mas é preciso sempre comparar com outras modalidades de investimento.
Em épocas que a economia aquece, os setores do Agronegócio e Imobiliário tendem a se beneficiar. Nesse cenário, as Letras de Crédito tendem a ganhar um destaque. Assim, vale ficar de olho nesses investimentos em 2019. Se tiver dúvidas, fale com nossos assessores.
LC - Letras de Câmbio
As Letras de Câmbio também merecem atenção em 2019. Assim como os CBDs, esses títulos são emitidos para financiar atividades de algumas instituições. A diferença está no emissor: os CDBs são emitidos por bancos e as LCs, por financeiras.
Por mais que não estejam no topo da lista, não deixam de ser alternativas interessantes para quem deseja montar uma carteira com alta diversificação de investimentos. Uma vez que apresentam rentabilidades razoáveis e também são garantidas pelo FGC.
Debêntures
As debêntures seguem como opções para aqueles que buscam alta diversificação de carteira. Por mais que algumas debêntures possam oferecer taxas interessantes, investir nesse universo exige um pouco mais de informação.
Se investir em debêntures está no seu plano, não deixe de se informar do setor que a empresa está inserida, analisar a saúde financeira do emissor e estar à frente do cenário. A atenção deve ser maior, uma vez que esses investimentos não são garantidos pelo FGC.
As chamadas debêntures incentivadas, isto é, aquelas emitidas com o objetivo de financiar projetos de infraestrutura, podem ganhar destaque em 2019. Como são investimentos isentos de IOF e IR, podem entregar resultados proveitosos a seus investidores.

Qual a melhor oportunidade de renda fixa hoje?

Simule grátis
Capítulo 5

Investir no Tesouro Direto

Melhores títulos públicos para 2019

Com quase 3 milhões de investidores cadastrados, o programa conhecido como Tesouro Direto continuará chamando a atenção em 2019. O baixo desempenho da poupança anda fazendo com que os títulos públicos cresçam entre investidores mais conservadores.

Abaixo colocamos algumas características desse programa, caso não o conheça. Veja:

Valor mínimo

R$30,00

É possível começar aplicando a partir de R$30,00

Rentabilidade

Prefixado, pós-fixado e híbrido

São 3 formas: taxa fixa, ou ligada à Selic ou ainda combinando uma taxa fixa e a movimentação do IPCA.

Prazo

De 2 a 30 anos

Há opções com prazo de 2 a 30 anos. Mas se quiser, você pode vender o título antes do vencimento.

Taxas

Taxa zero na Toro

As principais taxas são de custódia e de administração.

Impostos

De 15% a 22,5% de IR

O percentual é menor para investimentos com prazos maiores. Ainda pode incidir IOF, caso o dinheiro seja resgatado com menos de 30 dias.

Riscos

Sem risco de calote

O Tesouro Direto é bastante seguro, além de rentável e fácil de investir.

Abaixo comentamos sobre cada um dos principais títulos desse programa e se eles estão ou não na lista dos melhores investimentos de 2019. Veja:

Tesouro Prefixado

No ano de 2017, os títulos conhecidos como Tesouro Prefixado, receberam grande atenção de investidores. Esse investimento entregou um grande ganho de capital àqueles que apostaram nessa oportunidade, muito devido aos cortes da Selic

Entretanto, comprar esse tipo de título depois da sequência de reduções da Selic não é uma prática recomendada. A diminuição dessa taxa, e a sua manutenção na casa dos 6,5%, que foi sinalizado pelo Bacen, faz com que a rentabilidade prefixada paga continue baixa.

Tesouro Selic

O chamado Tesouro Selic tem sua resultado ligado diretamente à taxa de juros básica da economia. Isto é, você recebe o quanto a Selic estiver marcando.

Dessa forma, hoje, com a Selic baixa e sem perspectivas de aumentar, o título em questão perde atratividade.

No momento que o Banco Central recomeçar a subir com a taxa de juros, esse título volta para os radares de investidores.

Tesouro IPCA

O Tesouro IPCA, por outro lado, possui um futuro diferentes para 2019. Este investimento que segue a inflação, foi sempre uma opção para proteção de capital, entretanto, recentemente não passava disso.

Após a alta do dólar e a revisão do crescimento econômico brasileiro, é possível que possamos ter alguma elevação da inflação nos últimos meses de 2018 e durante o ano de 2019.

Assim, títulos de vencimento em 2035 e 2045 se tornam opções interessantes para aqueles que buscam ganhos aproximados a 5% acima do IPCA, já descontando o Imposto de Renda.

Quer aprender tudo sobre renda fixa e Tesouro?

Curso grátis
Capítulo 6

Investir no exterior

O que está acontecendo lá fora?

A economia americana segue avançando nos últimos 2 anos. A taxa de crescimento tem se acelerado ao longo do mandato de Donald Trump e se aproxima dos 3%, taxa considerada alta para uma economia madura como a americana. Ao mesmo tempo, o desemprego atinge as menores taxas em décadas, reforçando a percepção de que os Estados Unidos passam por um bom momento econômico.

Nesse cenário, o núcleo de preços PCE, índice de inflação de referência da política monetária dos Estados Unidos, vem caminhando gradualmente em direção ao centro da meta de inflação de 2%. Assim, o Federal Reserve (banco central americano) tem elevado a taxa de juros básica do país pela primeira vez após a crise de 2008 e mostra que o processo de aperto monetário deve continuar ao longo de 2019.

Por se tratar da principal economia mundial e ser considerada o investimento mais seguro do mercado, a continuação da alta dos juros americanos deve atrair dólares para fora dos demais países, o que traria pressões altistas sobre a taxa de câmbio brasileiro.

O aumento dos juros nos Estados Unidos influencia diretamente a alta do dólar no nosso país.

As recentes tensões comerciais entre Estados Unidos e seus principais parceiros comerciais também atuam para o aumento da cotação do dólar. Isso porque aumentam a percepção de risco e os levam a redirecionar seus investimentos em direção a mercados mais seguros, como o de títulos públicos americanos.

Num contexto como esse, investir no mercado acionário americano se torna mais atraente.

Como ganhar dinheiro investindo no exterior?

O aquecimento da economia americana pode trazer boas oportunidades de investimento mesmo daqui do Brasil. Mas, diferentemente da aplicação em ações, essas oportunidades acontecerão no chamado Mercado Futuro.

Nesta modalidade, são negociados contratos futuros do maior índice da Bolsa americana, o S&P 500. Isto é, é possível ganhar com a valorização das empresas dos Estados Unidos sem possuir conta em uma instituição norte-americana.

É hora de investir
no S&P 500?

Veja análise gratuita
Capítulo 7

Investir no dólar

A moeda americana é o melhor investimento em 2019?

Vimos que as tendências externas para 2019 apontam um cenário de alta para a moeda americana. Mas isso faz com que o dólar entre para a lista dos melhores investimentos de 2019?

Já no cenário interno, a principal causa das oscilações cambiais vinham sendo as incertezas com as eleições gerais, em especial para o cargo de Presidente da República. Com a confirmação de Jair Bolsonaro (PSL) como vencedor, o mercado aposta em uma ampla agenda de reformas econômicas, cujo foco principal é a reforma da Previdência e o controle dos gastos públicos.

A eleição de um Congresso relativamente alinhado às ideias do novo presidente também reforça a percepção de que as reformas podem de fato sair do papel.

Portanto, o cenário interno tem potencial para atuar na contramão do externo, segurando as pressões de alta para o câmbio.

Assim, acreditamos em um movimento mais neutro para o dólar ao longo de 2019.

Vale ressaltar, contudo, que a contribuição positiva dos fatores nacionais depende do bom andamento da nova gestão do Governo Federal e do bom andamento da agenda de reformas. Caso o otimismo atual se mostre frustrado, poderemos ver novamente um movimento mais forte de alta no dólar para o próximo ano.

Entretanto, investir no dólar não significa sair comprando papel moeda em casa de câmbio. Você pode aproveitar o movimento da moeda americana através de contratos futuros, de fundos cambiais ou com ações de empresas que se beneficiam com a alta da moeda.

Saiba o que esperar
do dólar hoje.

Acesse agora
Capítulo 8

Investir em Bitcoin

Ainda vale a pena comprar a criptomoeda?

No ano de 2017, o Bitcoin e outras criptomoedas atraíram a curiosidade de muitos. A grande volatilidade dessas “moedas” ganhou destaque na mídia pelo mundo, inclusive aqui no Brasil.

Esse buzz fez com que o número de investidores dessa criptomoeda estourasse. Dessa forma, a moeda digital mais popular alcançou mais de 1.300% de retorno até dezembro de 2017.

Já em 2018, o preço da moeda sofreu drástica queda. Em menos de um ano o preço da moeda caiu mais de 60% e dissolveu várias “fortunas” de criptoativos.

Para 2019, a tendência permanece essa: não vemos um futuro de valorização para o BItcoin.

Além disso, o investimento nesse tipo de ativo é considerado um dos mais arriscado do mercado. Não só por serem extremamente voláteis, mas pelo fato de não serem regulamentados ou recomendados pelo Banco Central. Por esse motivo, Bitcoins não entram no grupo de melhores investimentos de 2019.

Veja o que esperar
do Bitcoin hoje.

Acesse agora
Capítulo 9

Governo Bolsonaro

O que pode mudar os melhores investimentos 2019?

Estabelecido por Paulo Guedes, o futuro ministério da Economia, que reunirá os Ministérios da Fazenda, do Planejamento e da Indústria e Comércio Exterior, pretende concentrar o modelo econômico em três aspectos importantes:

  1. a reforma da Previdência;
  2. o controle dos gastos públicos
  3. a reforma do Estado, pautado em redução dos privilégios e desperdícios.

Guedes ainda defende a privatização de estatais e a redução dos impostos e unificação de tributos.

Controlando o déficit fiscal
Mas, de longe, o maior desafio do economista será diminuir o déficit fiscal brasileiro. Isto é, a diferença entre as despesas e receitas do governo federal
A equipe econômica do novo governo somará esforços para encerrar ao crescimento desse rombo e o substituir pelo seu decrescimento, pela manutenção dos juros baixos e pela dívida menor. Isso tudo para estimular investimentos e, consequentemente, a geração de empregos.
As questões fiscais de longe surgem como um tema extremamente importante para a sustentabilidade das contas públicas brasileiras no longo prazo.
O ajuste fiscal tem como foco o controle da elevação do endividamento público que, até o momento, se apresenta em trajetória preocupante.
Este fato gera incertezas quanto à capacidade do governo em honrar os seus pagamentos. Além disso, a dificuldade fiscal de um país pode determinar a chamada saída de fluxo de capitais estrangeiros. Isso piora as expectativas dos empresários e das famílias, cujo resultado final será o enfraquecimento dos índices econômicos.
Sua governabilidade
Não podemos citar somente os projetos da área econômica sem mencionar o Congresso Nacional, responsável pela apreciação de temas propostos pelo Governo Federal. O novo chefe do Executivo terá que fazer esforços importantes para reunir uma base forte na Câmara dos Deputados e no Senado Federal para que consiga avançar em projetos importantes, principalmente de cunho fiscal, com destaque para a reforma da Previdência.
Uma vez aprovado o texto previdenciário, por exemplo, colocado como “urgente” pelos economistas ligados à Bolsonaro, a tendência será na atração de capital, principalmente estrangeiro, que impactará em abertura de novos postos de trabalho com o consequente aumento das riquezas da nação.
Não deixe de acompanhar esses acontecimentos para saber o que o mercado guarda para seus investimentos.

Assuma o poder de
criar o seu futuro.

Assista o curso grátis
Capítulo 10

Os melhores investimentos de 2019

Veja o que o mercado guarda para esse ano

Acreditamos que os melhores investimentos de 2019 são:

  • Ações de empresas estatais (PETR4, ELET3, CMIG4 e BBAS3)
  • Ações de grandes bancos (ITUB4 e BBDC4)
  • Ações de empresas de infraestrutura (TAEE11, EQTL3, TRPL4, CCRO3 e RAIL3)
  • Ações de empresas de exploração de imóveis (BRML, MULT3 e EZTC3)
  • Ações de empresas ligadas ao consumo e varejo (LREN3, LAME4, MGLU3 e outras)
  • Fundos Imobiliários
  • CDBs de bancos menores
  • LCI e LCA

Aproveite o melhor
de 2019.

Conheça a Toro
Rafael Panonko analista financeiro

Rafael Panonko

Rafael Panonko atua no mercado de ações há 9 anos e é membro da equipe do Toro Radar, onde atua como Analista. Estudou Gestão Financeira e se tornou Analista CNPI-T registrado na APIMEC. Possui muita experiência em mesa de operações, trade de dólar, índices, mercados agrícolas e derivativos, além disso foi Oficial do Exército Brasileiro durante 8 anos.