Toro

Mercado de Ações - o que é e como funciona

Capítulo 1

Conhecendo o Mercado de Ações

Você provavelmente já deve ter ouvido falar em Mercado de Ações ou em investir na Bolsa de Valores, pelo menos uma vez na vida. Esse termo, tão comum nos noticiários, parece estar ligado a um sistema complexo e distante da maioria das pessoas.

Mas na realidade não é bem assim. Ele pode ser acessado facilmente e está mais presente nas nossas vidas do que você pode imaginar.

Veja só: muitas pessoas sonham em abrir o próprio negócio, mas criar, consolidar e manter uma empresa não é fácil. Quem assume esse desafio dependerá de muito dinheiro para manter o empreendimento.

Sabia que é possível participar da evolução de uma companhia, sem precisar participar diretamente da
gestão do negócio?

Para as empresas, a vantagem de participar do Mercado de Ações é trocar uma parte dela por recursos para seu próprio crescimento. Essa troca é possível graças ao Mercado de Ações. Essa é uma forma de permitir que pessoas se associem às empresas, adquirindo uma pequena parte delas.

Que tal entender isso melhor? Continue lendo e aprenda o que é o Mercado de Ações, como comprar ações de empresas e muito mais.

Aprenda a investir na Bolsa de Valores em menos de 1 hora
Veja o curso grátis

Capítulo 2

O que é Mercado de Ações

Mercado de Ações é o ambiente em que são negociadas frações do patrimônio de empresas. Parece complicado? Nem tanto. Basta pensar nas relações de compra e venda mais comuns do nosso dia a dia, como quando você adquire produtos para a sua casa. É preciso ir a um mercado, para escolher o que você precisa e realizar a compra, certo?

O Mercado de Ações segue, resumidamente, essa mesma lógica. Só que nele, os produtos vendidos são as participações nas empresas, ou seja, as ações. Mas precisamos te lembrar que não é toda empresa que faz parte desse mercado.

Para vender ações, é preciso abrir capital na Bolsa de Valores. Trata-se de um procedimento de formalização, em que a empresa precisa demonstrar que atende uma série de requisitos exigidos pela B3, antiga BM&F Bovespa, e pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Essas regras são fundamentais para a organização do Mercado de Ações. Isso porque as empresas de capital aberto precisam ter uma estrutura administrativa adequada para conduzir seus negócios de forma profissional e transparente.

A partir da abertura de capital e da oferta de ações no mercado, qualquer pessoa pode se tornar acionista da companhia.

Se você não sabe ainda como esse processo acontece, sem problema. Vamos explicá-lo um pouco melhor logo mais neste artigo.

Agora, para entender melhor o que é Mercado de Ações, vamos falar sobre o ambiente em que ocorrem as negociações. Se você pensou na Bolsa de Valores, acertou. Mas atenção: Mercado de Ações e Bolsa de Valores não são a mesma coisa, ok?

O Mercado de Ações, como o próprio nome diz, é focado na compra e venda de ações. A Bolsa de Valores, por sua vez, é mais abrangente, permitindo a negociação de:

Ações

Ibovespa

Parte de uma empresa, que permite ganhos com sua valorização.

Contratos futuros

Nyse Composite (NYA)

Acordos de compra e venda, por um determinado preço e período.

Fundos de investimento

Nasdaq Composite (COMPX)

Reúne o dinheiro de vários investidores e é organizado por um gestor.

Capítulo 3

Como funciona o Mercado de Ações

Você já viu que o Mercado de Ações é um ambiente que aproxima empresas que precisam de recursos para crescer e pessoas que têm dinheiro para aplicar e que desejam vê-lo se multiplicar.

Já destacamos, também, que quem investe em ações torna-se acionista da companhia em que está investindo, tendo direito a receber bonificações e também a se desfazer do ativo, ou seja, vendê-lo quando achar mais conveniente.

Mas isso não explica completamente como funciona o Mercado de Ações na prática. Vamos aprender sobre esse mecanismo por meio de um passo a passo? Acompanhe:

Oferta Pública Inicial — IPO

Quando uma empresa abre seu capital, podemos dizer que ela divide seu patrimônio em partes pequenas e as oferece pela primeira vez no mercado para quem tem interesse em comprá-las.

Quando uma empresa vende ações pela primeira vez, acontece o IPO - Oferta Pública Inicial. O investidor compra as ações na Bolsa e a empresa recebe o dinheiro.

Essa oferta só é permitida depois de a empresa passar pelo processo de Oferta Pública Inicial, ou IPO, do termo em inglês, Initial Public Offering. Esse processo é bastante delicado e pode demorar mais de um ano para ser finalizado, até que a empresa esteja liberada para oferecer suas ações no mercado.

Captação de recursos - mercado primário

O objetivo do IPO, como já falamos, é captar recursos para a empresa. Realizando a oferta pública inicial e disponibilizando as ações na Bolsa de Valores, é dado início às negociações. O dinheiro gerado nas primeiras transações vai para a empresa.

Nessa etapa, as pessoas adquirem os papéis diretamente da empresa. Por isso o nome mercado primário, já que as ações são negociadas pela primeira vez.

Vale lembrar também que quem adquire ações de uma empresa se torna sócio dela, mas seus direitos como acionista são definidos de acordo com o tipo e a quantidade de ações que possui.

Negociação entre investidores - mercado secundário

Depois de ocorrido o mercado primário, a empresa sai de cena e as ações passam a ser negociadas entre investidores. Assim, passa a funcionar o mercado secundário. É nele que acontece grande parte das negociações na Bolsa que a gente ouve falar por aí. A partir daí, o valor movimentado vai do comprador para o vendedor daquela ação.

Um detalhe importante: os ganhos ou as perdas de cada um ocorrem de acordo com a diferença entre o valor de compra das ações e de venda.

Ou seja, funciona basicamente assim: se você comprar uma ação de outro investidor por um preço e depois vendê-la por um valor maior, terá ganhos. Mas se comprar por um preço alto e depois decidir vender quando o valor está menor, terá perdas.

E como isso tudo é feito? Simples: pela internet. Pensou que as negociações ainda eram feitas pelo telefone, em uma sala cheia de gente? Nada disso. Há alguns anos, foi criado o Home Broker, uma forma de investir 100% online.

Mas a Toro foi além: criamos uma nova experiência de investir em ações. Nossa plataforma é ainda mais prática e fácil de usar. Veja:

Veja como é fácil investir na Bolsa pela Toro

Na Toro você encontra oportunidades selecionadas pelos nossos analistas e investe com poucos cliques, já sabendo qual é o lucro ou o prejuízo estimado para aquele investimento.

  • Veja as melhores oportunidades.
  • Invista com poucos cliques.
  • Saiba o lucro e prejuízo estimado.
  • Só pague corretagem se tiver lucro.
Acesse Agora
Capítulo 4

Como investir no Mercado de Ações

Aprender como investir no Mercado de Ações e participar dessas negociações é mais simples do que você imagina. Duvida? Vamos mostrar para você que é possível investir na Bolsa seguindo apenas 3 passos. Veja só:

Abrir conta em uma corretora
A abertura de conta em uma corretora de valores é um passo fundamental para quem quer aplicar na Bolsa. Isso porque as corretoras são instituições autorizadas a intermediar os investimentos nesse mercado.
É muito fácil abrir uma conta em corretora de valores e o cadastro pode ser feito online. Depois disso, basta transferir dinheiro para a sua conta na corretora para começar a investir.
Escolher suas ações
Conta aberta e depósito feito? Pronto. Você já pode começar a escolher quais ações vai comprar. Para fazer boas escolhas, pesquise sobre as empresas que deseja aplicar e não tenha vergonha de buscar apoio de profissionais experientes, caso tenha alguma dúvida.
Essa é mais uma vantagem de investir através de uma boa corretora de valores: você tem auxílio de uma equipe especializada sempre que precisar, além de análises e indicações das melhores oportunidades de investimento.
Realizar suas aplicações
Cada corretora de valores desenvolve sua própria plataforma de investimentos. É por meio dela que você vai realizar seu investimento no Mercado de Ações, ou em outros títulos do seu interesse.
Por isso, é tão importante investir através de uma plataforma simples, funcional e prática. Você consegue focar no que realmente importa:
o seu dinheiro.

Viu como é simples comprar e vender ações? Vale reforçar, no entanto, que esse processo deve estar alinhado com uma estratégia de investimento adequada ao seu perfil. Afinal, não adianta investir em algo que não faz o seu estilo.

Outro ponto importante é nunca deixar de acompanhar a evolução das aplicações feitas. Você provavelmente sabe que a Bolsa é bastante dinâmica, então é essencial ficar de olho na sua movimentação para saber a hora certa de comprar ou vender uma ação.

A boa notícia é que hoje existe um jeito ainda mais fácil de comprar ações e ficar de olho nos resultados. Na Toro, você consegue acessar as melhores oportunidades da Bolsa, sem complicação. E o melhor de tudo: gratuitamente.

Invista em qualquer ação da Bolsa com um clique.

Veja agora
Capítulo 5

Vantagens do Mercado de Ações

Além de não ser tão difícil quanto parece, investir no Mercado de Ações tem vantagens interessantes, como por exemplo:

Benefícios de acionista
Permite a quem compra a ação se tornar sócio da empresa, podendo participar das decisões dependendo do tipo e da quantidade de ações compradas.
Distribuição dos lucros
Pode ter ganhos com dividendos - parcela do lucro de uma empresa distribuída aos seus acionistas.
Potencial de valorização
Há chance de valorização da ação, podendo gerar um retorno interessante quando a ação é vendida por um preço maior do que o valor quando foi comprada.
Não existe valor mínimo
É possível investir mesmo quando não se tem muito dinheiro para começar, pois não existe limite mínimo de aplicação na Bolsa. O valor necessário vai depender, entre outras coisas, da ação escolhida.

Explore o mercado e saiba onde investir agora.

Acesse grátis
Capítulo 6

Riscos do Mercado de Ações

Investir em ações tem seus riscos e isso você possivelmente já ouviu falar bastante por aí. Aliás, os riscos estão presentes em qualquer investimento, alguns com mais outros com menos. No entanto, não é preciso ter medo e acabar guardando seu dinheiro em um cofrinho.

Na verdade, se não houvesse risco, não haveria a possibilidade de atingir altos ganhos, pois é a movimentação do mercado que faz surgir as chances de ter bons rendimentos. É justamente por isso que o Mercado de Ações faz parte de uma categoria conhecida como renda variável.

O próprio nome já entrega: são investimentos que oferecem uma rentabilidade que varia de acordo com o mercado. Então, se tudo estiver favorável, você pode ter resultados excelentes. Mas também corre o risco desse cenário mudar rapidamente e te causar perdas.

Sabendo disso, vamos conhecer melhor os riscos do Mercado de Ações e, principalmente, como se proteger deles:

Risco de mercado
O risco de mercado engloba uma série de fatores macroeconômicos que podem provocar queda no preço de uma ação. Ou seja, são eventos que não dependem necessariamente da atuação da empresa.
É o caso de problemas com o segmento de atuação da companhia, restrições às exportações, quedas na atividade econômica, instabilidade no governo e até mesmo a realização de eleições, por exemplo.
Para suavizar esse risco, é muito importante que você peça ajuda especializada. Não tenha vergonha de entrar em contato com a sua corretora para tirar dúvidas. Afinal, é sobre a segurança do seu dinheiro que estamos falando.
Risco de liquidez
Liquidez é a capacidade de venda de um ativo. Quanto mais fácil for vender as ações, por exemplo, maior será a liquidez. O risco, nesse sentido, ocorre quando existe dificuldade em encontrar compradores para as ações que você quer vender.
Alguns segmentos de mercado são mais suscetíveis ao risco de liquidez, como as ações small caps — ligadas a empresas com menor movimentação na Bolsa.
Uma forma de diminuir esse risco é investir em ações que são mais negociadas, como as blue chips — empresas que mais movimentam negócios na Bolsa —, pois há um interesse bem maior dos investidores em negociá-las.
Precisamos lembrar que essa diferença entre small caps e blue chips não é uma regra. Há ações small caps que valem a pena investir, assim como algumas ações blue chips que podem não oferecer bom potencial no momento.
Por isso, vamos falar mais uma vez: antes de tomar uma decisão de investimento, peça ajuda especializada. Dessa forma, você pode contar com a opinião de um profissional para encontrar papéis com boa liquidez.
Risco da empresa
O risco da empresa ocorre quando a sua performance apresenta resultados negativos ou abaixo do mercado. Esse risco também envolve questões como dificuldades financeiras, investigações por práticas ilegais ou prejuízos do negócio.
Para se proteger desse risco, avalie a saúde financeira da empresa em que pretende investir e conheça a estrutura administrativa da companhia — observando, sobretudo, se a gestão é formada por bons profissionais.
Também vale acompanhar as demonstrações de resultados trimestrais, semestrais e anuais para conferir a evolução da empresa.
A melhor maneira de se proteger contra o risco da empresa é diversificar seus investimentos. Assim, é possível diluir as chances de ter um desempenho negativo.
Por exemplo, em vez de investir todo o seu dinheiro em ações de uma única empresa, o mais indicado é dividir seu capital em ações de empresas diferentes em setores diversos.

Veja as melhores ações para investir agora.

Acesse grátis
Capítulo 7

Custos para investir no Mercado de Ações

Além dos riscos, é importante considerar os custos de investir no Mercado de Ações. Conheça cada um deles:

Taxa de corretagem

SZSE Component (SZSE)

É o valor pago pelos serviços prestados pelas corretoras de valores. Pode ser um valor fixo, um percentual ou uma combinação de valor fixo somado a um percentual.

Emolumentos

SZSE Component (SZSE)

É uma taxa cobrada pela B3 em valor percentual sobre o volume total de cada investimento (de compra ou de venda) em ações.

Imposto de Renda

SZSE Component (SZSE)

Recolhido mensalmente, com percentual de 20% sobre o lucro para investimentos que duram até um dia (Day Trade) e de 15% sobre o lucro para os demais prazos. Para investimentos que duram mais de um dia, há isenção para pessoa física quando o volume financeiro de vendas total do mês é igual ou menor que R$ 20.000,00.

Capítulo 8

Dicas para investir com segurança

Você viu que o Mercado de Ações está ao alcance de qualquer pessoa que tenha interesse em investir. Mas também observou que existem riscos associados a esse investimento. Por isso, é preciso investir com segurança, adotando práticas como essas a seguir:

Conheça o jeito mais fácil de investir na Bolsa.

Aprenda grátis
Capítulo 9

Curso de investimento gratuito

Curtiu aprender mais sobre o Mercado de Ações e já veio a vontade de começar a investir? Ótimo. Além de te dar a ferramenta para investir mais e melhor, também vamos te ensinar a dar os primeiros passos nesse mercado.

Acesse nosso curso gratuito e veja como investir na Bolsa de Valores é bem mais simples do que você imaginava.

Aprenda a investir na Bolsa de Valores em menos de 1 hora
Veja o curso grátis

Capítulo 10

Dúvidas frequentes sobre Mercado de Ações

Tem alguma dúvida, ainda? Sem problema. Veja a resposta para as principais perguntas relacionadas ao Mercado de Ações:

Não. O Mercado de Ações engloba todos os processos que descrevemos ao longo deste artigo, desde a abertura de capital até as negociações dos ativos. A Bolsa de Valores é responsável por organizar o mercado.

Outra nomenclatura que você pode ter visto é Mercado de Capitais. Esse termo é uma designação mais ampla, englobando tanto o mercado de ações quanto a bolsa de valores.

Aqui no Brasil, a Bolsa que realiza os pregões e administra as negociações é a B3, também chamada até pouco tempo de BM&F Bovespa.

Qualquer pessoa pode investir no Mercado de Ações, desde que esteja cadastrada para isso. Esse procedimento pode ser feito pela sua corretora, após enviar alguns dados pessoais, como CPF e endereço.

Para começar a investir nesse mercado, um dos primeiros passos é abrir conta em uma das melhores corretoras para investir em ações. O cuidado em escolher uma instituição devidamente registrada e comprometida com seus clientes é a melhor forma de iniciar nesse tipo de aplicação.

Além disso, é importante conhecer cada vez mais sobre esse mercado e traçar um objetivo. Que tal aprender a investir com quem entende do assunto?

Faça um curso grátis.

Para fazer boas escolhas, use estas 3 dicas:

  • Consulte sua corretora para conhecer quais são as recomendações dos profissionais do mercado — mas lembre-se: independentemente da orientação, a decisão de fazer ou não aquele investimento é sempre sua.

  • Informe-se mais sobre as empresas que deseja investir para compreender melhor como estão evoluindo e se possuem boas perspectivas de crescimento.

  • Escolha empresas nas quais você confia: como consumidor é isso que você faz diariamente, então na Bolsa não é diferente.

Não existe um valor previamente definido para o investimento em ações. O que define esse valor inicial, principalmente, é o preço de cada ação.

Entretanto, é necessário observar que há custos associados à aplicação. Dessa forma, o ideal é investir um valor que permita obter um resultado satisfatório.

Descubra os 3 segredos do sucesso na Bolsa de Valores.
Aprenda agora