Toro

Mercado Futuro - o que é e como funciona

Capítulo 1

O que é Mercado Futuro

Quando falamos de investimentos, estamos falando em termos gerais de uma aplicação que é feita pensando no futuro. Você investe hoje acreditando em um cenário que se concretizará no curto, médio ou longo prazo, certo?

Por isso, é tão importante saber lidar com as incertezas futuras. Afinal, não dá para saber com certeza o que vai acontecer amanhã, não é mesmo?

Mas nem todo mundo se deixa levar pela maré dos acontecimentos. E muita gente vai além: utiliza as perspectivas futuras para fazer bons investimentos. Quer entender isso melhor? Aprenda agora o que é Mercado Futuro e saiba como utilizá-lo a favor do seu dinheiro.

O Mercado Futuro é um ambiente dentro da Bolsa de Valores, onde são negociados contratos de compra ou venda de ativos para uma data futura, daí o seu nome.

A grande sacada aqui é que, em vez de negociar ações de empresas, no Mercado Futuro você compra ou vende contratos futuros. Existe um lote mínimo de contratos que você deve negociar, podendo ser sacas de café, arrobas de boi gordo, ou até mesmo pontos de índices, por exemplo.

Mas não precisa se preocupar pensando que esse assunto é muito complicado. Investir no Mercado Futuro é tão simples quanto comprar ações. Afinal, ao comprar um ativo futuro você também pode ganhar dinheiro com sua valorização ou ter perdas com sua desvalorização.

Aprenda a criar o seu futuro com investimentos.

Curso grátis
Capítulo 2

Características do Mercado Futuro

Quando uma pessoa compra ou vende um contrato futuro ela assume uma posição nesse mercado. A posição será "comprado" ou "vendido" dependendo da estratégia adotada. Assim sendo:

Quem está comprado lucra com a alta na cotação do ativo e
perde quando há queda no preço.
Quem está vendido lucra com a queda na cotação do ativo e
perde quando há alta no preço.

Essa compreensão é fundamental para entender o que é Mercado Futuro e seus pontos positivos, que são:

  • Facilidade
  • Flexibilidade
  • Alavancagem
  • Controle de perdas
  • Liquidez

Vamos explicar brevemente cada uma dessas vantagens. Veja só:

Facilidade
Como dissemos, investir em contratos futuros é tão simples quanto comprar e vender ações. As transações são realizadas exclusivamente na Bolsa de Valores e tudo é feito online, então você não precisa sair de casa para fazer suas negociações.
Flexibilidade
Existem diferentes formas de lucrar com o Mercado Futuro. Você pode fazer investimentos buscando a valorização dos ativos, ou seja, você compra o contrato por um preço e vende quando o preço aumentar. Ou então pode ganhar também com a desvalorização. Dessa forma, quanto mais o valor do ativo cair, melhor.
Alavancagem
Uma boa notícia é que, no Mercado Futuro, você pode movimentar valores bem acima do que possui em conta, que é o que chamamos de operar alavancado. Dessa forma, você pode investir como os grandes investidores, sem precisar ter todo esse dinheiro na sua conta. A exigência é que você dê uma garantia de que, caso haja perdas, você tem condições de arcar com os prejuízos.
O melhor é que você não precisa pagar o valor total negociado, mas recebe apenas o lucro ou paga
somente a diferença.
Por exemplo, digamos que você investiu alavancando em contratos futuros de dólar em um valor de R$36.000 e, ao encerrar a operação, vendeu por R$38.000. Assim sendo, você não vai receber os R$38.000, mas sim apenas os R$2.000 de lucro (ou seja, a diferença entre a compra e a venda).
A mesma coisa aconteceria se o resultado fosse negativo. Nesse caso, você teria que pagar R$2.000 e não o total de R$34.000. Um detalhe importante aqui é que o tamanho da alavancagem, ou seja, a quantidade de vezes que você vai multiplicar seu dinheiro, depende bastante do contrato futuro que você está negociando.
Margem de garantia
Como falamos no tópico anterior, é preciso dar uma garantia para utilizar a alavancagem e movimentar valores superiores do que você tem em conta. Essa margem de garantia funciona como uma espécie de cheque caução, pois o valor garantido pode arcar com parte dos prejuízos ocorridos.
No entanto, é importante que você saiba que, se as
perdas forem maiores do que a margem exigida, será preciso pagar a diferença.
Vale destacar que essa margem não precisa necessariamente ser em dinheiro. Você pode usar alguns títulos de renda fixa, como CDB e Tesouro Direto, como garantia. Ou até mesmo ações que tiver em carteira.
Liquidez
É possível encerrar a posição, ou seja, solicitar o resgate do dinheiro investido, a qualquer momento, mesmo antes do vencimento do contrato.

Aprenda a investir na Bolsa de Valores em menos de 1 hora.
Curso grátis

Capítulo 3

Como funciona o Mercado Futuro?

Você já aprendeu que no Mercado Futuro os preços são negociados na data atual com base nas expectativas quanto à cotação para um determinado prazo futuro.

Quem compra e vende nesse mercado garante resultados diários com base na diferença entre o valor negociado e a cotação alcançada. Essa é uma espécie de apuração de perdas e ganhos feita pela Bolsa de Valores, conhecida como ajuste diário.

Podemos resumir essa dinâmica em 3 etapas:

1) Início

início

Tudo começa no momento em que você compra ou vende um contrato futuro, escolhendo o ativo do seu interesse estabelecendo o preço e a quantidade.

2) Ajustes diários

ajuste diário

Entre o início e o término da operação, seus investimentos são ajustados diariamente pela própria Bolsa de Valores. É por isso que podemos entender o Mercado Futuro como um mercado de "soma zero".

3) Encerramento

encerramento

Quando o investimento chega ao vencimento ou você encerrar antes do prazo, é o momento de obter o lucro ou o prejuízo por meio da soma dos resultados diários.

Vale lembrar que os ativos negociados no Mercado Futuro são comercializados e consumidos praticamente no mundo todo. Dessa forma, os horários de negociação, para iniciar ou encerrar um investimento, podem mudar ao longo do ano. Assim, a Bolsa brasileira pode funcionar em horários mais próximos das negociações nos Estados Unidos e Europa.

Invista nas melhores oportunidades da Bolsa com um clique.

Veja agora
Capítulo 4

Conheça os principais contratos do Mercado Futuro

Os contratos futuros abrangem uma série de ativos e índices, o que permite montar estratégias de investimento bem diversas e aproveitar o desempenho de diferentes setores do mercado. Vamos te explicar um pouco melhor sobre os principais contratos negociados, veja só:

Abaixo, explicamos mais a fundo os ativos que o vídeo aborda e mais outros que compõem esse mercado. Vamos lá?

Índice Bovespa

O Índice Bovespa (Ibovespa) é o principal indicador de desempenho da Bolsa de Valores e você provavelmente já ouviu falar dele, certo? Trata-se de uma carteira de ações teórica, ou seja, é a simulação de uma carteira de investimento em ações.

Fazem parte do Ibovespa cerca de 60 papéis mais negociados
na nossa Bolsa, a B3, como ações da Vale, da Petrobras e da Ambev.

Seria bastante complicado, e caro, investir em todas as ações que compõem o índice, por isso quem investe em contratos futuros pode obter lucros com a valorização do Ibovespa sem precisar adquirir todos os papéis que fazem parte dele.

A cotação do contrato futuro de Ibovespa é formada de acordo com os pontos do índice, sendo que cada ponto representa R$1,00 no caso da negociação do índice cheio (que tem o código IND).

Entretanto, para quem não costuma movimentar valores elevados, existe a possibilidade de investir no minicontrato futuro de Ibovespa, também chamado de mini índice (WIN). Nele, cada ponto representa R$0,20.

S&P 500

Contratos futuros Standard & Poors (Índice S&P 500 Futuro) é uma forma de negociar a expectativa de cotações futuras para o Índice S&P 500 (ISP), que é um indicador mundialmente importante já que agrega ações das 500 maiores empresas do planeta, como:

  • Coca-Cola
  • Nike
  • Disney
  • Apple

O lote padrão é de 1 contrato e cada ponto corresponde a US$50. O preço parece salgado comparado ao contrato do IBOV? Não se preocupe, pois o índice S&P 500 tem a volatilidade bem menor em relação ao índice brasileiro, então a quantidade de pontos que diminuem ou aumentam no S&P 500 é bem menos intensa do que no Ibovespa.

Dólar

O dólar é um dos principais contratos negociados no Mercado Futuro, já que atrai muitas pessoas interessadas em ganhar dinheiro investindo na moeda de uma das maiores economias do mundo: os EUA.

Investir neste contrato permite tanto aproveitar as variações cambiais
para obter lucro quanto serve como mecanismo de proteção, sobretudo,
para empresas que têm dívidas ou operações que dependem do dólar.

Assim como no Índice Bovespa, há dois tipos de contratos futuros de dólar: o dólar cheio e o mini dólar. O valor de cada contrato futuro de dólar cheio é de US$50 mil e o lote mínimo é de 5 contratos. Para o mini dólar (WDO), a cotação é de US$10 mil e o lote padrão é de 1 contrato.

Boi gordo

O boi gordo (BGI) é uma das principais commodities negociadas no país, já que o Brasil está entre os maiores exportadores mundiais de carne bovina. A negociação de contratos futuros, nesse caso, atende, sobretudo, às necessidades de proteção de preços. Mas isso não quer dizer que quem tem interesse em investir também não possa se beneficiar do desempenho do setor.

A unidade de referência desse contrato é a arroba, que representa 4.950 quilos de carne. E a cotação é de 330 arrobas por contrato. Então, caso você veja um contrato cotado em R$120, isso significa que ele na verdade vale R$120 vezes 330, portanto R$39.600.

Milho

O contrato futuro de milho (CCM) não foge à regra do boi gordo.
O que muda são os valores e unidades de referência.

Nesse caso, cada contrato se refere a 450 sacas de 60 quilos — equivalentes a 27 toneladas. Então, quando você vê um contrato cotado em R$50 significa que ele na verdade vale R$22.500 (450 sacas vezes R$50).

Café

O contrato futuro de café (ICF) segue o mesmo padrão das outras commodities. O contrato tem como unidade 100 sacas de 60 quilos de café arábica, totalizando 6 toneladas. Cada unidade é precificada em dólar. Ou seja, um contrato considera o valor de mercado do café, em dólar, que deve ser multiplicado por 100.

Portanto, digamos que um contrato futuro de café estivesse cotado em R$60 e no momento o dólar estivesse valendo R$3,50. Podemos dizer que ele na verdade se refere a R$60 (valor do contrato) vezes R$100 (quantidade de sacas) vezes R$3,50 (valor do dólar). Ou seja, R$21.000.

Aprenda a investir e
crie o seu futuro

Conheça a Toro
Capítulo 5

Como investir no Mercado Futuro?

Como você já sabe, as negociações desse mercado ocorrem na Bolsa de Valores. No geral, os procedimentos são os mesmos de qualquer investimento em ações e são intermediados por corretoras de valores. Confira quais são as etapas para investir no Mercado Futuro:

Abrir conta em uma corretora de valores
Essa é uma etapa simples e rápida, mas também é muito importante. Vale destacar que algumas corretoras permitem que o cadastro e abertura de conta sejam feitos totalmente online.
Transferir dinheiro para a conta na corretora
O valor transferido é o que você vai utilizar para fazer seus investimentos.
Escolher o tipo de contrato futuro
Para investir em contratos futuros, você obviamente precisa escolher qual contrato irá investir. Para ficar mais fácil, você pode inserir apenas o código do ativo do seu interesse. Por exemplo:
  • Ibovespa — IND
  • Minicontrato Ibovespa — WIN
  • S&P 500 — ISP
  • Dólar — DOL
  • Minicontrato dólar — WDO
  • Boi Gordo — BGI
  • Milho — CCM
  • Café — ICF

Escolher a data de vencimento
A regra do Mercado Futuro, como o nome já indica, é o prazo. Depois de definir o contrato, é preciso escolher o mês e ano de vencimento. O mês deve ser selecionado de acordo com uma letra de referência (veja abaixo) e o ano considera apenas os dois últimos dígitos.
  • Janeiro — F
  • Fevereiro — G
  • Março — H
  • Abril — J
  • Maio — K
  • Junho — M
  • Julho — N
  • Agosto — Q
  • Setembro — U
  • Outubro — V
  • Novembro — X
  • Dezembro — Z

Quer um exemplo para ficar mais fácil de entender? Um contrato de mini dólar com prazo para maio de 2019 terá o código WDOK19.


Investir e acompanhar o desempenho
Com o contrato e o vencimento determinados, você já pode investir. Feito o investimento, não deixe de acompanhar a evolução das cotações para agir no momento certo e conseguir alcançar bons resultados.

Invista nas melhores oportunidades da Bolsa com um clique.

Veja agora
Capítulo 6

Os riscos do Mercado Futuro

Investir implica em assumir alguns riscos, certo? Com o Mercado Futuro não é diferente. O primeiro passo para se proteger é conhecer quais são esses riscos e como evitá-los. Veja só:

Risco de mercado

Representa os riscos associados às oscilações, como são chamadas as variações naturais que acontecem nesse mercado. Como você já deve saber, a cotação dos ativos pode tanto subir quanto cair, pois não há como ter certeza sobre o que vai acontecer no futuro.

Então, há a possibilidade de o mercado reagir de forma diferente do que era esperado e isso pode provocar prejuízos. Por isso, é tão importante observar os dados do mercado, analisar com atenção as tendências e ter agilidade para reagir a essas mudanças de cenário.

Riscos associados à alavancagem

Você viu que a alavancagem é uma das vantagens dos investimentos no Mercado Futuro. Então, você também sabe que é possível lucrar com base em um valor muito superior ao que você realmente tem na conta.

Mas e se houver prejuízo? Você precisa saber que ele virá na mesma medida que os lucros. Por isso, tenha cautela ao fazer suas aplicações e não assuma um valor que não consiga compensar em caso de perdas.

Riscos de ajuste diário

A cada dia, como já explicamos, é feito o ajuste diário pela Bolsa de Valores. Se o seu resultado for negativo, você vai precisar bancar esse prejuízo. Por isso, é muito importante ter sempre um valor disponível para arcar com eventuais perdas.

Risco de alteração de margem

Quando você mantém um investimento em contratos futuros por mais de um dia, há chances de que o valor da margem de garantia exigida pela Bolsa ou pela sua corretora de valores possa mudar.

Dessa forma, caso ela aumente, você terá que manter em conta um valor maior do que tinha programado. Portanto, se programe para ter um valor disponível para cobrir essas mudanças no percurso.

Conhecer o funcionamento do Mercado Futuro, entender os riscos e diversificar sua carteira de investimentos são as melhores formas de proteger seu dinheiro.

Se você é inexperiente, comece com um valor baixo, tente aprender um pouco a cada dia e busque apoio especializado. Afinal, suas estratégias de investimento no Mercado Futuro serão aprimoradas com o tempo, de acordo com a sua dedicação.

Outra dica importante para aumentar suas chances de sucesso nos investimentos é escolher uma corretora de valores que seja comprometida em te ajudar e que ofereça análises para orientar suas aplicações. Conte com a ajuda de quem realmente entende do assunto e aproveite ao máximo as oportunidades do Mercado Futuro.

Descubra os 3 segredos do sucesso na Bolsa de Valores.
Aprenda agora

Capítulo 7

Perguntas frequentes sobre Mercado Futuro

Existem diferenças técnicas entre os mini contratos e os contratos cheios. Nos contratos cheios, em geral, você investe de 5 em 5 contratos. Nos mini contratos, por outro lado, normalmente é possível investir de 1 em 1 minicontrato futuro.

Por exemplo: o mini contrato de índice equivale a 1/5 do volume financeiro do contrato cheio de índice. Portanto, a base cálculo também é proporcional a 1/5.

A tributação é a mesma que o investimento em ações. Para investimentos de curtíssimo prazo (Day Trade), a alíquota é de 20% e para curto prazo (inicia em um dia e termina em outro) é de 15%. Vale lembrar que 1% é retido na fonte em caso de DayTrade e 0,005% é retido na fonte em caso de Swing Trade (curto prazo).

Os custos para investir em contratos futuros geralmente incluem: taxa de corretagem, emolumentos e Imposto de Renda. Para saber quais outros custos podem ocorrer e ter todas as informações sobre esse tema, entre em contato com a sua corretora de valores.

A taxa de corretagem depende da instituição financeira pela qual uma pessoa investe. Cada banco ou corretora tem seus preços e seu modo de cobrança, que podem ser por contrato, por volume, etc.

Conheça o 1º curso interativo de investimentos.

Aprenda grátis